♂Saúde ♀ diversas categorias - dicas♀

♂Saúde ♀ diversas categorias - dicas♀

Pesquisar

24/09/2009

camomila1.jpg"Pois é, amores. Vivendo e aprendendo. Ninguém conquista aquele ar de frescor, aquela aparência descansada à toa. Para tudo se tem um segredinho. E um deles é a compressa de chá de camomila geladinho.

Mole, mole: você faz o chá, deixa na geladeira, embebeda o algodão e deixa lá, de molho no rostinho.

Ricardo Tavares recomenda antes do make-up: “Ajuda a desinchar e tira o ar de cansaço”.

Há quem diga que ajuda a combater a oleosidade. Não custa tentar, né?



PS: Sabe quem é adepta? Alinne Moraes.




fonte:

globo.com

23/09/2009


"Corrida espalha hormônios de bem-estar pelo seu corpo"



"As substâncias liberadas

são as mesmas da

relação sexual

e

trazem o alívio

das tensões"

"Sexo e corrida é a combinação perfeita

para o bem-estar no dia-a-dia. "


"Ambos liberam endorfina e têm uma relação direta com o estado de humor da pessoa. O diagnóstico é do médico Alfonso Massaguer, ginecologista e obstetra do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP e especialista em reprodução humana pelo Instituto Universitário Dexeus de Barcelona.Quem faz sexo pode ter um desempenho melhor na corrida, assim como quem corre pode melhorar a atividade sexual. Os dois caminhos farão bem para a alma e é isso que importa , diz Massaguer. Ele explica que a endorfina, estimulada pela corrida, é responsável pela sensação de bem-estar.

Sentindo-se bem e mais saudável, o indivíduo melhora a auto-estima,

o que gera o aumento da libido.

Ou seja, após fazer sexo,

o treino tende a ser muito bom e o corredor
estará mais relaxado.
A recíproca também é verdadeira,
explica Ronaldo Pamplona da Costa,
médico psiquiatra e psicoterapeuta sexólogo.

O exercício movimenta o corpo e gera bem-estar.
Com o corpo mais transado e mais energizado, o desejo sexual aumenta .
O sexo melhora o humor,

e o desempenho sexual alivia a tensão.

O indivíduo fica mais feliz ,

explica a psicóloga esportiva do
Hospital do Coração de São Paulo (HCor)


Roberta Lobato. A especialista
ressalta que a auto-estima elevada ajuda
,
também, na
diminuição da vergonha.

O corpo fica mais bonito, a pessoa sente-se melhor e, conseqüentemente,
mais solta na cama .


A receita mágica vale para aquelas pessoas mais tímidas,

que têm vergonha do parceiro ou da parceira.


Isso acontece, em geral, com as mulheres.

Quando elas começam a correr

e ficam com um corpo legal,

ficam mais desinibidas , diz a psicóloga Roberta.

Foi o caso da enfermeira Adriana Romão, 36, mãe de dois filhos e casada há 11 anos, que sentiu a volta do prazer sexual após freqüentar os treinos de corrida. Não é que eu não gostava de fazer sexo. Mas era uma sensação muito maior de obrigação do que de desejo sexual , revela. A corrida veio por incentivo de uma amiga mais velha que começou a fazer atividade física para aliviar os sintomas da menopausa. Em poucos meses, consegui emagrecer alguns quilos, minha pele ficou mais bronzeada por conta dos treinos ao ar livre e passei a me sentir mais à vontade para tirar a roupa e iniciar uma relação sexual , diz Adriana. Antes, eu esperava a iniciativa do meu marido .
Corpinho torneado

Correr não tira uma gota de feminilidade e sensualidade. Ao contrário, aproveitando os benefícios da corrida, elas podem tornarse mais sensuais , afirma a psicóloga Roberta. Além de melhorar o humor, o ânimo e o apetite em todos os sentidos, o exercício ainda proporciona um corpinho torneado, sem ser muito sarado, o que mantém a característica feminina e atrai o homem .
As mulheres, no entanto, sentem-se mais atraídas quando eles intensificam os exercícios dos músculos do quadríceps e ganham pernas de corredor , deixam o glúteo mais definido e os braços mais fortes, além de dar um fim na barriguinha de chope e nos pneuzinhos .
O homem terá mais força para segurá-la e mais força nas pernas. Isso, para a mulher, representa segurança e virilidade , avalia Roberta. Comida para não secar
Existem muitas mulheres que ficam psicologicamente abaladas com as mudanças que acontecem no corpo, principalmente, após um macrociclo de treinos pesados para uma maratona, por exemplo. Algumas pacientes reclamam que emagreceram demais, outras também relatam que o seio murchou ou que o bumbum diminuiu. Tudo isso é falta de alimentação correta , explica o ginecologista Massaguer. A falta de apetite sexual, segundo o médico, tem relação direta com a mudança do corpo. Se o corpo não está legal, ela fica mais envergonhada e a libido diminui . Para isso, o ideal é um bom acompanhamento nutricional para calibrar as quantidades de proteínas e carboidratos, evitando a perda de massa magra, ou seja, os músculos. Pessoas que praticam atividade física regular devem ter uma alimentação balanceada e diferenciada. E, pela natureza do gasto calórico, também precisam de mais proteínas que o recomendado normalmente, explica a nutricionista Patrícia Bertolucci, especializada em medicina do esporte pela Unifesp (Universidade Federal de São Paulo). Para se libertar
Durante a educação, a mulher tende a ser mais reprimida sexualmente. Por mais moderno que o mundo possa parecer, ainda existe um grande tabu em relação à mulher que admite adorar sexo , explica o sexólogo Costa. Uma mulher corredora aprende a se movimentar melhor, a usar o corpo e tem uma possibilidade maior de se liberar sexualmente. Com um corpo mais trabalhado, a mulher terá mais vontade de ser vista e ser notada. Isso tende a despertar desejos e a torná-la mais solta sexualmente , diz o terapeuta. Elas, saradas; eles, saudáveis

Entre os homens, diz o sexólogo, a preocupação é maior com o corpo saudável do que com o corpo sarado. A vaidade existe nos dois lados; entre homens e mulheres, eles e elas têm essa preocupação. Mas, em geral, elas priorizam a forma física, e eles, o bem-estar , afirma Costa.
Felizmente, uma coisa leva a outra.

Um corredor saudável, conseqüentemente,

terá um corpo torneado, com músculos evidentes ,
explica Roberta. Dessa forma,
eles passam a curtir um pouco mais o próprio corpo,
rompendo aquele lugar comum de que
homem não pode ter vaidade nem querer ser belo ,
ressalta Costa. A qualidade de vida a dois
está diretamente ligada ao bem-estar físico.
Correndo, o indivíduo se sente bem e,
certamente, terá
uma relação sexual melhor ,
explica o psicanalista."



fonte:
msnbrasil

12/09/2009


"   Diga o que pensa para ter mais amigos e sofrer menos"

Expresse suas opiniões para prevenir estresse e depressão



"O filtro que divide as idéias pensadas daquelas que ganham voz é indispensável no dia-a-dia. Dizendo tudo o que pensa, é difícil manter o emprego, segurar o namoro e até preservar os amigos. Mas o contrário disso também não é nada saudável. "Quem abre mão de falar o que pensa não se deixa conhecer", afirma a psicóloga Madalena Cabral Rehder, coordenadora do Núcleo de Especialização em Psicodrama e Sociodrama de Santo André e Região.

A timidez e a vontade de agradar são, em geral, as justificativas usadas pelos indivíduos que, quase sempre, ficam quietos o máximo possível. A estratégia, contudo, acaba pondo em risco o convívio social, ameaçado pela dificuldade de entender os desejos dessas pessoas e pela aparente falta de interesse que elas apresentam nas relações (afinal, expressão e participação andam de mãos dadas na maioria das vezes). "Deixar de expressar o que pensa é omitir-se perante a vida", diz a psicóloga.

Sem dúvida, há quem nasça com um temperamento mais reservado, precisando sentir confiança no ambiente antes de manifestar opiniões. Não há problema nenhum nisso, aliás é até saudável e evita constrangimentos. Isso porque essa avaliação funciona como uma espécie de vacina contra comentários não são adequados para o momento (seja pela superficialidade, seja pelo julgamento precipitado).

Mas não pense que se furtando de falar você consegue desenvolver essa habilidade. Segundo a especialista do Núcleo de Especialização em Psicodrama e Sociodrama, expressar bem os seus pensamentos e opiniões requer aprendizagem, com exercícios freqüentes e de dificuldade variável. Soltar o verbo entre amigos, por exemplo, tende a ser bem mais simples do que relatar a seu chefe sua insatisfação no trabalho.

Só lembrando que a comunicação é uma via de mão dupla: é importante falar e também ouvir, com o máximo de transparência possível, evitando questões mal resolvidas. "Aprender a se comunicar de forma espontânea e com criatividade favorece o crescimento pessoal e profissional", diz a psicóloga. As pessoas entendem as suas ações e, portanto, conseguem confiar mais em você graças à intimidade que é partilhada pouco a pouco.

Manual contra timidez
Receita pronta, para combater a timidez, não existe. Mesmo quem tem facilidade para se expressar, não raro, acaba sendo vítima de mal-entendidos. Se isso acontecer com você, use o episódio em favor da experiência (e não como fonte de lamentações e desculpa para se fechar ainda mais). "As falhas geram frustrações e ansiedades, que precisam ser vistas e revistas sempre por meio de uma análise com um psicólogo ou de uma auto-análise", recomenda Madalena Rehder.

Nos momentos explosivos, entretanto, o silêncio raramente encontra substituto melhor, seja você da turma expansiva ou mais retraída. "Nesses casos, o melhor mesmo é aquietar e, posteriormente, falar do assunto em outro momento propício. A cautela na comunicação muitas vezes é bem-vinda. Aprendemos com o outro, assim como o outro aprende conosco", diz a especialista.

A psicóloga ainda explica que as pessoas tensas, sob pressão do estresse, são as mais comprometidas nos seus discursos. Elas sentem que o mundo é um adversário e, para superar o problema, a dica é procurar um auxilio profissional da área de saúde (médicos, psicólogos), readquirindo sua energia vital da comunicação com criatividade e espontaneidade.

É até normal querer falar e ter as palavras atropeladas pelo choro. As emoções tornam o diálogo mais tenso e, por causa disso, é importante não deixar os sentimentos guardados, acumulando-se em forma de angústia. "Refletir, meditar e analisar sobre as situações vividas que não deram certo ou foram frustrantes são os exercícios mais difíceis, mas também os mais valiosos e saudáveis para as descobertas do amor próprio, para a aceitação pessoal e a para aceitar o outro", diz a psicóloga. Nestes exercícios, segundo ela, as falhas têm a chance de ser transformadas em fonte de aprendizagem.

Quando esse processo torna-se natural, culpa, raiva e medo desaparecem e você fica imune a males mais sérios, como a depressão. "O isolamento é uma maneira de mostrar que você precisa de cuidado", afirma a psicóloga. Mas, certamente, pedir ajuda traz resultados bem mais eficientes em comparação a esperar que alguém adivinhe que você está sentindo falta de acolhida."

fonte:
msnbrasil

Postagem em destaque

provar sanidade

||| ' O outro lado do paraíso ': Raquel ajudará a provar sanidade de Clara   Raquel e Patrick (Foto: Globo/Raquel ...

Seguidores


buscas populares …apareça nas buscas… cadastre seu web site aqui…/buscas populares…alô negócios !!!…
|| Пост!Featured on Hometalk.com